Home > Últimas Notícias
O povo em primeiro lugar: a missão primordial do Partido Comunista da China
2021/06/30

Em poucos dias será celebrado o 100º aniversário de fundação do Partido Comunista da China. Nos últimos 100 anos, o Partido deixou de ser um pequeno partido com pouco mais de 50 filiados para tornar-se um grande partido com mais de 91 milhões de membros, responsável por enormes conquistas nos âmbitos econômico e social da China. Dados de uma recente pesquisa internacional da Universidade de Harvard mostram que a taxa de aprovação do Partido Comunista da China pelo povo chinês passa dos 90%. Qual é o segredo desse sucesso? Dentre as muitas razões, destaca-se uma como fundamental: o Partido sempre prioriza sistematicamente o povo, buscando sempre a sua felicidade e cumprindo promessas com ações práticas.

A seguir, compartilharemos algumas breves histórias sobre esse grande Partido e seus memoráveis membros.

 

"Dar um cobertor a quem precisa"

O povo é a raiz dos ideais e das crenças do Partido, e a luta por seu bem-estar é considerada essencial. De outubro de 1934 a outubro de 1936, a fim de livrar-se do cerco e da perseguição das tropas nacionalistas, o Exército Vermelho do Partido Comunista da China foi forçado a implementar um deslocamento estratégico, retirando-se da sua base para realizar a Longa Marcha. Esse evento histórico constitui um feito absolutamente singular, já que o Exército Vermelho travou mais de 380 batalhas, cruzou 14 províncias, passou por 18 montanhas, transpôs 24 rios, caminhou por imensos pântanos e escalou até picos nevados de montanhas, numa viagem de cerca de 12.000 quilômetros. A história da Longa Marcha do Exército Vermelho é também a história de um profundo afeto entre o Partido Comunista da China e o povo, e o episódio conhecido como "metade do cobertor" é simbólico dessa relação.

Em novembro de 1934, o Exército Vermelho marchou para a vila de Shazhou, na província de Hunan. Três soldadas pernoitaram na casa do aldeão Xu Jiexiu enquanto o exército estava estacionado na região para descansar. Antes de partir, as mulheres cortaram pela metade o único cobertor que tinham e o deixaram para o velho Xu, dizendo-lhe o seguinte: "depois que a revolução comunista vencer, vamos lhe dar um cobertor novinho em folha." E passados alguns anos, quando Xu Jiexiu foi perguntado sobre o que é ser comunista, ele respondeu: comunista é quem corta seu próprio cobertor pela metade para que o povo também possa tê-lo.

"Não abandonar o povo nem por um segundo"

Para os comunistas, o povo é tão elementar quanto o céu e a terra. É precisamente por causa dessa crença que o Partido Comunista da China persiste sempre no lema de que serve ao povo e o governo trabalha pelos interesses do povo. Ao longo das vicissitudes vivenciadas, o Partido nunca deixou de manter sua ligação estreita com a base popular. Na história do Partido, diversos quadros destacaram-se por seu trabalho duro e por "carregarem em seus corações o mundo inteiro, exceto eles próprios". A história de Jiao Yulu é especialmente tocante.

No inverno de 1962, Jiao Yulu tornou-se secretário do comitê local do Partido no condado de Lankao. Naquela época, o país passava por dificuldades econômicas, e a situação no condado era agravada por problemas ambientais, como tempestades de areia, alagamentos e a alta salinidade do solo, que dificultavam a atividade agrícola. Preocupado com as más condições de vida da população, Jiao Yulu trabalhou incansavelmente para remediar a situação, cavando canais para drenar os alagamentos, criando barreiras em torno das dunas de areia e tratando o solo para reduzir a salinidade. Muitas vezes ele dormia nas cabanas dos trabalhadores, ajudava-os nos trabalhos do campo e fazia suas refeições na companhia deles. Depois de algum tempo, Jiao Yulu adoeceu devido ao ritmo intenso de trabalho e faleceu aos 42 anos de idade.

 

"Tornar-se um só com o povo"

A nova China fundada em 1949 era um dos países mais pobres do mundo à época. Em prol da dignidade e do bem-estar do povo chinês, o Partido Comunista da China decidiu erradicar a pobreza, melhorar as condições de vida e gradativamente alçar a população à prosperidade comum – lutas importantes que continuam até os dias atuais. Desde 1949, 850 milhões de pessoas foram retirados da pobreza, o que corresponde a 70% das conquistas a nível mundial nesse período. A meta de redução da pobreza da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da ONU foi alcançada 10 anos antes do previsto e, em fevereiro de 2021, a China anunciou oficialmente a erradicação da pobreza absoluta no seu território. Inúmeros membros do Partido Comunista da China dedicaram-se a essa grande causa, e um deles em particular, Li Baoguo, professor da Universidade Agrícola de Hebei da China, destaca-se por seu trabalho nas áreas montanhosas do país, que contribuiu para livrar milhares de agricultores da pobreza.

Em 1981, Li Baoguo graduou-se e passou a lecionar na universidade. Um dia, ele e alguns colegas foram à montanha Taihang para realizar pesquisas e constataram que o local tinha um solo excessivamente pedregoso e muito pobre, o que causou a miséria da população nos vilarejos da região. Li Baoguo decidiu voltar para a montanha por conta própria com o intuito de reduzir a pobreza por meio do uso da ciência. Todo ano, ele passava mais de 200 dias ali, conduzindo importantes pesquisas científicas e ajudando os necessitados. Durante todo esse período sua rotina era a mesma: levantava-se cedo e dormia tarde, e muitas vezes alimentava-se apenas de pão e água. Quaisquer que fossem as condições climáticas, ele subia a montanha arriscando a própria vida. Enfrentou muitas tentativas fracassadas antes de atingir seu objetivo: transformar o terreno rochoso e infértil numa área de vegetação. Ao fim e ao cabo, graças ao trabalho de Li Baoguo, a camada de terra cresceu, reteve a água e permitiu que a taxa de sobrevivência das plantas aumentasse de 10% para 90%, enquanto a cobertura vegetal chegou a 94,6%. Em poucos anos, aquele pobre e desolado vilarejo tornou-se conhecido como "o lugar mais verde da montanha Taihang" e transformou-se numa próspera comunidade. Em um período de 30 anos, Li Baoguo concluiu 28 projetos de pesquisa e desenvolvimento em áreas montanhosas, cobrindo mais de 1,4 milhão de acres de colinas áridas com vegetação e aumentando a renda dos agricultores em 5,85 bilhões de yuan. Indiferente à fama e à fortuna, não recebeu nenhuma remuneração dos agricultores nem ações de qualquer empresa, tendo mantido sua integridade e dedicação altruísta durante toda a sua vida como membro do Partido Comunista.

Suggest To A Friend:   
Print