Home > Notícias do Brasil
O Embaixador Li Jinzhang publicou artigo sobre Encontro dos Chanceleres do Brics
2017/06/24

No dia 23 de junho de 2017, o Embaixador Li Jinzhang publicou o artigo intitulado Iniciar a segunda “década dourada” das cooperações do BRICS:

Nos dias 18 e 19 de junho, foi realizado em Beijing o Encontro dos Chanceleres do Brics. Os cinco chanceleres alcançaram amplos consensos em importantes temas, como política global, economia, e as cooperações do Brics. Numa conjuntura internacional de grande complexidade e volatilidade, o encontro é oportuno para reafirmar o consenso do grupo, e explicitar o “posicionamento BRICS” sobre questões internacionais importantes e reforma da governança global, além de fazer os preparativos políticos para a 9a Cúpula do BRICS que terá lugar no início de setembro na China.

Durante o encontro, os chanceleres analisaram os resultados conquistados ao longo dos dez anos desde a criação do Brics. O Brics ganhou mais peso, de maneira que sua participação na economia mundial subiu de 12% para 23%, contribuindo para mais de 50% do crescimento global. O comércio e o investimento dentro do bloco aumentaram significativamente e os seus membros consolidaram seu poder de voz em instituições financeiras internacionais.

As áreas de cooperação estão cada vez mais alargadas. A cooperação entre os cinco países estendeu-se da área económica para as de política e cultura. Encabeçada pela Cúpula anual dos líderes, a estrutura de cooperação do Brics é composta também por uma dúzia de reuniões ministeriais, como as de Altos Representantes Responsáveis por Segurança, dos chanceleres, entre outras, que abrangem diversas áreas. Estão cada vez mais aperfeiçoados instrumentos como o Novo Banco de Desenvolvimento e o Arranjo de Contingência de Reserva, dando forte suporte para o crescimento econômico dos países.

A influência internacional da cooperação do Brics aumentou. Foram reforçadas a concertação e a cooperação entre os cinco países no tocante a tópicos como desenvolvimento global e mudanças climáticas no âmbito da ONU, G20 e outros organismos. Defendendo a solidariedade e os interesses das nações em desenvolvimento diante dos desafios globais, os cinco países têm vindo a apresentar projetos Brics.

Os chanceleres também discutiram construtivamente a cooperação no futuro, definindo as prioridades. O Brics será o motor para a colaboração solidária entre as economias emergentes e os países em desenvolvimento e vão promover o modelo de cooperação entre diferentes sistemas políticos, culturas e fases de desenvolvimento para ampliar o “círculo de amigos”.

O Brics será o estabilizador no cenário regional e internacional. Continuarão comprometidos com a manutenção do papel central da ONU em assuntos internacionais, promovendo a solução política para questões regionais e defendendo a autoridade das leis internacionais. Unirão esforços para enfrentar desafios como terrorismo e mudanças climáticas.

O Brics será o acelerador da reforma da ordem internacional. Vão promover a multipolarização do mundo e a democratização das relações internacionais em uma direção mais justa e equitativa. Assumirão um papel mais ativo na construção de uma comunidade humana de destino compartilhado.

Como importantes integrantes do Brics, a China e o Brasil têm mantido estreita comunicação e cooperação. Na véspera do encontro dos Chanceleres do Brics, o chanceler chinês Wang Yi e seu homólogo brasileiro Aloysio Nunes presidiram o Diálogo Estratégico Global Brasil-China, no qual a cooperação do Brics foi um dos temas mais importantes. Os dois lados concordaram que essa cooperação representa o rumo mundial. Os dois países, junto com os demais membros do bloco, somarão seus esforços para o sucesso da próxima cúpula, de modo a "aprofundar a parceria Brics rumo a um futuro ainda mais promissor".

Tais como o Presidente chinês Xi Jinping frisou no encontro coletivo com os cinco chanceleres do Brics, a cooperação entre o Brics terá frutos mais abuntantes e iniciará a segunda “década dourada” desde que tenhamos a mesma vontade e juntemos os esforços. Temos a convicção de que, sob as ações coordenadas dos seus membros, o mecanismo do Brics vai avançar longe em passos firmes, e inaugurará a uma segunda "década dourada" na sua cooperação, ajudando o Brics e outras nações em desenvolvimento a alcançar a prosperidade comum.

Suggest To A Friend:   
Print